21°C 27°C
Natal, RN
Publicidade

A TREZENA DE SANTO ANTÔNIO

Anualmente, no período de 31 de maio a 13 de junho, é realizada a Trezena de Santo Antônio.

15/04/2024 às 18h08
Por: Adrovando Claro
Compartilhe:
A TREZENA DE SANTO ANTÔNIO

Uma das festas tradicionais da Cidade do Natal é a Trezena de Santo

Antônio. Essa festa, juntamente com as de São João e São Pedro, formam o trio

dos maiores festejos populares religiosos que acontecem no mês de junho.

 

A Igreja de Santo Antônio, em Natal-RN, está localizada na rua do mesmo

nome, no bairro da Cidade Alta, e foi construída na segunda metade do séc.

XVIII. Ela já foi conhecida como Igreja de Santo Antônio dos Militares, em

razão da Companhia de Polícia do Estado ter ocupado aquele prédio. No

entanto, a denominação mais conhecida, que prevalece até os dias de hoje, é o

de Igreja do Galo, devido à existência de um galo de metal em sua torre,

resultado da doação do capitão-mor Caetano da Silva Sanches.

O prédio primitivo do convento foi totalmente destruído. Após uma

campanha de reconstrução liderada pelo Arcebispo do Natal, Dom Marcolino

Dantas, um novo convento foi erguido e inaugurado em 1º de fevereiro de

1948.

 

Anualmente, no período de 31 de maio a 13 de junho, é realizada a

Trezena de Santo Antônio. Em frente à Igreja, fazendo esquina com a Rua

General Osório, fica o Paço Episcopal (a casa do Bispo) do Natal, como que

ratificando aquela festividade. Na época da minha juventude, o calçadão daquela Igreja ficava todo

iluminado. Ali eram armadas algumas barracas nas quais eram leiloadas várias

iguarias, particularmente comidas típicas (bolos, doces, cocadas, pamonhas,

canjicas e milho assado). Entre os devotos que para ali acorriam, havia muitos

jovens que buscavam apenas divertimentos, saboreando as guloseimas

leiloadas enquanto passeavam entre a multidão.

 

Eu fiz parte dessa leva de jovens, enquanto isso, Dona Alice, irmã do

poeta maior Jorge Fernandes, a tudo assistia da janela de sua casa, localizada

na esquina da Rua Senador Guerra, hoje denominado Rua Expedicionário

Rodoval Cabral, com a Rua Santo Antônio. A Trezena de Santo Antônio, como outras festas populares, está

perdendo o seu encantamento devido ao afastamento da população dos

lugares públicos por medo da violência. No entanto, essa festa,

reconhecidamente tradicional, guarda ainda hoje os seus mistérios, recebendo,

mesmo sem a intensidade dos tempos passados, um bom número de devotos,

que, além das razões religiosas que os incentivam, ainda confiam na fama de

Santo Antônio como um Santo casamenteiro. Que Deus abençoe os devotos

casadoiros.

Manoel Procópio de Moura Júnior

Lenium - Criar site de notícias